Washoku, a Culinária Japonesa

A cultura japonesa é rica e serve de exemplo para o mundo em vários aspectos. No post de hoje, iniciaremos nossa série culinária, Sabores do Japão, e o primeiro tópico será o Washoku.

Já falamos aqui de assuntos relacionados como a Longevidade ao falar dos Centenários no Japão, mas este post será mais específico, trazendo um pouco mais de história, tradição e costumes da terra do sol nascente.

 

 

O Que é Washoku?

Washoku (和食) é uma expressão que significa Comida Japonesa ou culinária japonesa.

Os Kanji (ideogramas) que compõe a palavra remetem-se a harmonia e comida, respectivamente.

Ainda falando do significado de Washoku, seria apenas um dos “estilos” da cozinha nipônica, existindo também o chūka (仲夏), que significa comida chinesa, é o tipo de comida que era (e ainda é) servida no Japão por restaurantes nominalmente chineses e que surgiram na terra do sol nascente em meados do século XIX,

Por último, temos o yōshoku (洋 食), que nada mais é do que a comida ocidental, que foi implementada no Japão ainda na Era Meiji.

Das três cozinhas existentes no Japão, o Washoku é o que chamaríamos nos dias atuais de “Comida Raiz”. (e não culinária Nutella).

Brincadeiras à parte, agora que já sabemos o significado da expressão washoku, exploraremos essa fascinante arte que transcendeu séculos e ainda mantém-se nos dias atuais como algo inovador!

 

 

A essência do Washoku

WASHOKU thema

Para que entenda melhor o conceito, é necessário conhecer a composição básica do washoku.

Uma refeição equilibrada não é apenas uma seleção de tipos de comida com determinados elementos como em uma dieta tradicional na qual você adiciona características ao invés de se preocupar de fato com os alimentos.
A culinária genuinamente japonesa “supera” as outras em vários aspectos, mas, talvez, um dos mais importantes é o fato de que, para os japoneses, é necessário se alimentar usando os seus 5 sentidos.

Assim sendo, desmembraremos agora os principais elementos que compõem a experiencia de degustar e aproveitar ao máximo a culinária japonesa:

 

 

Ingredientes e a Sazonalidade

O Japão é um país que recebe muita chuva e suas estações são definidas. Por causa disso, a disponibilidade de legumes, verduras e plantas são sazonais e isso faz com que a alimentação, de modo geral, siga este padrão.

Além dos alimentos plantados, há também grande variedade de pescados, o que torna a culinária ainda mais rica.

Algo importante é que os ingredientes são “de época”, mas só isso não basta: São preparados de modo que os sabores harmonizam com o clima e fazem isso para extrair o máximo das propriedades nutricionais de cada item, além de explorar da melhor forma possível os sabores  e texturas que cada produto pode oferecer.

Se este assunto de explorar os sabores da comida te interessa e você quiser aprender um pouco mais sobre isso de forma mais lúdica, vale a pena conhecer filmes como Shokubutsu Zukan, que em vários momentos, mostra como aproveitar de forma simples elementos que até são descartados dos vegetais que compramos, (SUPER RECOMENDO)!

 

 

A Aparência Conta SIM!

washoku kawaii

Desde pequenos, somos habituados a comer aquilo que nos parece agradável aos olhos.

No Japão, isso é levado MUITO a sério. Desde a infância, através dos bentôs, as crianças aprendem a comer o que é bonito, colorido, e isso reflete diretamente na qualidade e na propriedade nutritiva de cada refeição.

Por este motivo, ao desfrutar de uma refeição, os itens estão geralmente dispostos em pequenas porções (para fácil ingestão) e para ficar visivelmente bonito.

Além disso, a decoração da mesa com itens naturais como plantas, pratinhos ou objetos feitos de material não industrializado mostra o respeito dos japas pela natureza.

 

 

Apreciando e Vivenciando o Washoku (Omotenashi)

Após terem se dedicado para escolher cada ingrediente com base no clima, combinação de sabores, explorar as propriedades nutricionais da melhor forma possível, chegou a hora de se preocupar com o ambiente no qual o washoku é praticado.

Nesse momento, a mesa é posta da melhor forma possível, os participantes daquela refeição educadamente se posicionam e agradecem pela comida dizendo “Itadakimasu”, na sequencia, usa-se majestosamente o hashi para pegar o alimento, o ato de degustar cada um dos elementos e, por último, mostra-se apreço, gratidão e satisfação pelo alimento através da expressão “gochisoumasa”.

 

 

Washoku, o Patrimônio da UNESCO

A culinária japonesa tem um histórico de vários séculos e ainda hoje é considerada como inovadora e serve de exemplo para muitas nações em todo o mundo.

Uma das contribuições mais evidentes da alimentação japonesa é a longevidade, onde em menos de 60 anos o Japão se tornou a nação com maior número de centenários do planeta.

O kaiseki trata-se da refeição servida formalmente acerca de 400 anos durante as cerimônias do chá, é a forma mais refinada do washoku.

A estrutura básica do prato é uma sopa e três outros pratos. Um exemplo de refeição deste tipo pode ser visto abaixo:

30755482 - typical japanese breakfast image

 

Recentemente, o washoku foi inscrito na Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO.

Devido ao baixo índice de obesidade no Japão, não chegando a 5% da população total, a longevidade e a disposição para trabalho que os japoneses têm, além de um paladar apurado, a culinária tradicional foi listada como modelo global de dieta saudável.

De acordo com informações constantes no Wikipedia, o Patrimônio Cultural Intangível (como também é conhecido) é uma distinção criada pela UNESCO em 1997, tendo como principal objetivo preservar as tradições e expressões culturais que determinado grupo ou sociedade possui para que isso seja passado para as gerações futuras.

Mais detalhes sobre como a UNESCO reconheceu a culinária tradicional japonesa como patrimônio podem ser lidos aqui (em inglês)

Você pode gostar...

Comente este post!

%d blogueiros gostam disto: