A Viagem de Chihiro – Resenha

A Viagem de Chihiro é um dos clássicos do Estúdio Ghibli e compõe nosso Anima da Semana.
Para quem não conhece os trabalhos do Estúdio Ghibli, este é sem dúvida um dos mais populares e aclamados produtores de Animações do Japão.
Fazendo um paralelo, Ghibli seria a Walt Disney do Oriente, com mega produções que já foram ganhadoras do Oscar.
Este foi um dos motivos pelos quais selecionamos A Viagem de Chihiro. Ganhadora do Oscar de melhor animação no ano de 2003, o desenho conta com uma história que mistura magia, drama, suspense numa emocionante aventura.

Para reconhecer os trabalhos da “Fábrica dos Sonhos Japonesa” não é preciso muito. Em algum momento de sua vida, você provavelmente já viu o personagem abaixo:

 

totoro

 

Caso não tenha reconhecido o emblemático Totoro, não entre em pânico, talvez esteja iniciando agora sua busca por Animes Clássicos. Durante nossos próximos posts faremos diversas indicações de Animes para que conheça mais sobre ” a nata” da Animação Japonesa.

Falando sobre A Viagem de Chihiro, temos como tema central da história Chihiro, que está muito chateada por sair de sua zona de conforto, imergindo num enredo totalmente diferente. Chihiro é uma menina de 10 anos super mimada, acostumada com os luxos da cidade e acha que tudo deve ser exatamente como ela quer. Logo no início da trama aparece com cara de choro após descobrir que iria se mudar para uma cidade do interior.

Ficha Técnica

 

Chihiro

 

Nome: Chihiro Ogino

Características marcantes:

Esta é a nossa protagonista. Mimada, chorona, medrosa e sem habilidade pra nada. Desastrada, enfim, uma menina sem muito senso sobre o que é a vida fora do conforto da cidade. Ela precisará de seu juízo, de sua coragem, de sua lealdade e de lembrar de seu nome, acima de tudo se quiser voltar para seu mundo.

Ficha Técnica

 

haku

 

Nome:  Haku

Características marcantes:

Este é o tipico exemplo de perseverança. Menino esforçado, amigo, leal que tenta ajudar ao próximo. Misterioso e com aparições pontuais fica sendo outro protagonista dessa história.

 

Ficha Técnica

 

Yubaba

 

Nome:  Yubaba

Características marcantes:

 

Essa é a Bruxa que rege a Casa de Banho, local onde corre praticamente toda história. É uma feiticeira de personalidade forte, flutua entre o bem e mal durante a trama, sendo arrogância e sua principal característica.

 

 

Ficha Técnica

Sem face

 

Nome:  “Sem Face”

Características marcantes:

 

Este é um personagem peculiar da trama. Aparece logo no inicio e se faz presente durante toda a trama. Com ar misterioso este Deus não tem moradia. Sua principal característica é agir de acordo com o modo como é tratado. Não há habilidade específica a ser declarada.

 

 

O QUE ESPERAR DO ANIME?

 

Os primeiros instantes do anime ficam em torno dessa insatisfação da garota que não para de reclamar durante o trajeto.

Ao se aproximarem da nova vizinhança, por algum motivo o pai se distrai e acaba entrando no caminho errado. Após algum tempo, finalmente chegaram em frente a uma construção vermelha com um túnel em destaque no centro.

chihiro

 

Ao descer do carro, a criança insiste em permanecer onde estavam pois achou muito esquisito o local e não estava gostando da atmosfera do ambiente tão diferente da cidade grande. A contra-gosto da mimada criança, os pais adentram o túnel e ela sem ter o que fazer, os acompanha.

Após a travessia do mesmo, depararam-se com uma espécie de parque temático abandonado. Caminham por alguns instantes e encontram um local com muita comida, mas ainda, sem ninguém a vista. Os pais param para comer e a menina vai desbravar o local (mesmo com muito medo).

 

chihiro1

Deste momento em diante, há uma ponte na qual ela atravessa e poucos instantes depois começa a ver coisas estranhas. Ao tentar chamar os pais, percebe que viraram porcos e foge…

A partir daí inicia-se A Viagem de Chihiro.

Eles, sem saber, entraram na terra dos Deuses onde as pessoas não são bem vindas e dificilmente conseguem voltar para seu local de origem. Para sobreviver neste local, é necessário se empregar, fugir de monstros e ainda tentar descobrir como voltar pra casa.

Para sua sorte Chihiro encontra Haku, um menino misterioso que de alguma forma tenta ajudar a jovem. Ele da a ela algumas coordenadas e ela precisa em poucos instantes abandonar seu orgulho e dar inicio a sua jornada.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Durante todo o anime, Chihiro tenta descobrir uma forma de voltar pra casa. Este é sem dúvida um Anime obrigatório para qualquer Otaku pois representa parte da história da Industria cinematográfica de animação do Japão. A Viagem de Chihiro é um filme de aventura como qualquer outro. Nos mantém na extremidade de nossos assentos sem usar violência. A ação e humor não são dominantes. O uso de efeitos especiais espetaculares é severamente controlado. A pequena Chihiro descobre virtudes como amizade, determinação e disciplina.

Mas o objetivo do filme não é didático. Tenta dar as crianças confiança, enquanto mostra para eles como essencial é forjar um nome. Esta mistura de modernidade, filosofia e fantasia é muito rara no cinema. Graças ao toque mágico de Hayao Miyazaki, eu imagino que o público se apaixonou por A Viagem de Chihiro porque eles já sabiam desde o início que estavam assistindo um espetáculo sem igual.

CURIOSIDADES

O Primeiro Filme japonês em DLP

A Viagem de Chihiro é o primeiro dos filmes de Miyazaki a ser colorizado e masterizado em formato digital. Os formatos digitais são usados para imprimir o filme e fazê-lo caber dentro do formato DLP. Este é o processo usado para Star Wars: A Ameaça de Fantasma, Toy Story 2, Dinossauro e 102 Dálmatas que inauguraram o DLP mundialmente. A Viagem de Chihiro é o primeiro filme japonês a usar este procedimento revolucionário que permite que o filme seja projetado debaixo de ótimas condições sem ter que confiar no filme, sem medo de passar fora do tempo fora ou de uma transferência pobre. Em termos do som, todos os filmes de estúdio foram digitalizados desde Whisper of The Heart (1995). Porém, A Viagem de Chihiro representou um desafio novo para os técnicos. Deixando de lado o famoso Dolby Digital 5.1, Miyazaki optou pelo Dolby Digital Surround EX 6.1 e o DTS_ES que permitem uma acústica mais refinada. Por enquanto, A Viagem de Chihiro é o único filme no mundo que se beneficiou de todos os pontos tecnológicos em termos do tratamento da imagem (Digitalização e DLP) e som (Dolby Digital Surround EX 6.1 e DTS_ES).

 

Análogo e Digital
Em A Viagem de Chihiro, o estúdio Ghibli empregou a mesma técnica digital que eles usaram no filme My Neighbours the Yamadas (Meus Vizinhos os Yamadas) de Isao Takahata. Mas no Ghibli, diferente da Pixar, o computador não é usado exclusivamente. Todos os desenhos são pintados á mão, os personagens e os cenários, primeiro antes de serem escaneados e digitalizados. Só no final é que são feitas, a animação e a escolha das cores que são geradas através de computador. Ghibli criou o posto de “Diretor de Imagens Digitais” e contratou Okui Atsushi para fazer isto. Ele digitaliza o trabalho fornecido por cada departamento no estúdio, enquanto produz os movimentos de câmera e os efeitos especiais. “A digitalização dos desenhos mudou nossos métodos completamente”, diz Okui Atsushi. “Quando nós ainda estávamos trabalhando em celulóide, era difícil acrescentar muitos efeitos à imagem. Mas graças ao processo digital, nós podemos modificar os desenhos originais sem ter qualquer problema. Qualquer erro pode ser corrigido facilmente. A fase essencial deste processo está em escanear os esboços. Nossa meta não era criar um filme com uma síntese de imagens, mas melhorar a qualidade da animação enquanto obtínhamos a harmonia entre imagens pintadas á mão e gráficos gerados no computador. A técnica que nós usamos era particularmente eficiente em termos de regular a claridade do aspecto de uma cena ou por produzir efeitos dinâmicos isolando o movimento de um personagem. Nossa meta é não fazer os desenhos criados á mão desaparecerem porque possuem uma textura sem igual, mas ao invés disso usar todas as ferramentas possíveis para aumentar sua riqueza visual.

Um Triunfo Colossal

Um longa-metragem com tempo corrente de duas horas e dois minutos, A Viagem de Chihiro custou 19 milhões de dólares. Embora talvez cinco vezes menos do que o orçamento de uma produção dos estúdios Disney, esta soma era colossal para uma animação japonesa. O filme fez um sucesso sem precedentes. Até mesmo antes de ter sido lançado nos EUA e na Europa, o filme de Hayao Miyazaki era aclamado como o primeiro filme não-americano da história a ter ganhado a soma de 200 milhões de dólares de bilheteria no mundo inteiro. A França foi o primeiro país Ocidental a oferecer o seu mítico trabalho com um lançamento em larga escala.

Você pode gostar...